top of page
  • Foto do escritorDesonra

Gig Dia do Trabalhador

Texto por Felipe CDC:


Dia Internacional dos Trabalhadores - Gig Punk/Hardcore


Diferentemente daquilo que prega a poderosa máquina de propaganda do capitalismo-racista-patriarcal-sexista, o 1º de Maio, Dia Internacional dos/as Trabalhadores/as, não é uma data meramente comemorativa. Afinal, o que há para ser comemorado? As jornadas exaustivas, a exploração do trabalho infantil, o trabalho análogo à escravidão, as disparidades salariais entre homens e mulheres ou a feroz precarização das condições de trabalho que jamais deixaram de existir? Se acredita que há algo a ser comemorado, você pode fazer isso alimentando ainda mais o monstro do capital: consumindo, se inebriando inconsequentemente e acordando com uma grande ressaca no dia seguinte, apenas para continuar a ser explorado até o último dia da sua vida desgraçada. Para muitos, o Dia Internacional dos/as Trabalhadores/as parece ter essa conotação banal, mas você já se perguntou sobre o real significado dessa importante data?

Dê uma olhada no que a convocatória do 1º de Maio de 1886 nos Estados Unidos dizia:


“Um dia de rebelião, não de descanso! Um dia não ordenado pelas vozes arrogantes das instituições que tem aprisionado o mundo do trabalhador! Um dia em que o trabalhador faz suas próprias leis e tem o poder de executá-las! Tudo sem o consentimento nem aprovação dos que oprimem e governam. Um dia em que com tremenda força a unidade do exército dos trabalhadores se mobiliza contra os que hoje dominam o destino dos povos de todas as nações. Um dia de protesto contra a opressão e a tirania, contra a ignorância e a guerra de todo tipo. Um dia para começar a desfrutar oito horas de trabalho, oito horas de descanso, oito horas para fazer o que nos dê vontade.”


Não é por acaso que o 1º de Maio foi definido como o Dia Internacional dos/as Trabalhadores/as. Nessa data, no ano de 1886, foi iniciada em Chicago uma greve geral de trabalhadores e, após três dias de resistência, aconteceu um atentado a bomba que matou um policial e deixou feridos outros sete. Após violenta repressão policial, sete anarquistas foram condenados à morte e um condenado a 15 anos de prisão. Portanto, o 1º de Maio está ligado à história das lutas anarquistas e, portanto, não se separa da luta antiautoritária e antifascista, já que O FASCISMO NADA MAIS É QUE A DEMONSTRAÇÃO DA FACE MAIS ASSUSTADORA, VIOLENTA E AUTORITÁRIA DO CAPITALISMO EM CRISE!!!

É com essa ideia em mente que convidamos vocês para a gig hardcore/punk que vai acontecer lá na Casa do Cantador na QNN 32 em Ceilândia, reduto de trabalhadores/as pret@s, nordestin@s, indígenas, LGBTQIA+ e toda multidão de pessoas não enquadradas nos padrões opressivos do cis-hetero-patriarcarcado-racista-capitalista que nos exclui e que nos mata!

As atrações Os Maltrapilhos, Galinha Preta, Terror Revolucionário, Crushed Bones e Desonra, nomes conhecidos da cultura underground do DF, estarão no palco a partir das 16h00.

Tod@s são bem-vind@s, exceto fascistas!




6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page